sábado, 12 de março de 2011

Cavalo doido...Cavalo de pau - Alceu Valença!

Como o próprio Alceu declara em seu site - "Disseram que não ia vender...e vendeu um milhão e meio de cópias". Aí eu completo...tomaram, papudos!?! Assim começo a falar deste disco, um disco que eu adoro. 1982, o sul reaprendendo a respeitar o nordeste, com gente do nível de Zé Ramalho, Fagner, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho e tantos outros gerando pérolas musicais uma atrás da outra. Então o trovador poeta Alceu Valença falou - "Se eu rimar rima com rima, é tangerino tangerina, Pirapora Petrolina, se eu rimar rima com rima". Não parece coisa de um cego repentista em uma feira no nordeste?Mas a mágica é que o som é moderno e traz a emoção antiga. A viola do cego é elétrica. O guitarrista Paulo Raphael não deixa por menos e Jaques Morelenbaum faz o cello lembrar uma rabeca. Eita música arretada...Rima com rima. E veja as fotos do encarte, ninguem poderia ostentar um visual mais rocker que Alceu e sua trupe. 
 Antes de prosseguir falando das músicas, deixe-me elogiar a capa. Uma idéia criativa e simples, e gosto de idéias criativas e simples com um resultado bonito no final. A guitarra segue ainda com um clima totalmente oitentista, com os delays e chorus criando a ambiência para Tropicana, e deixe eu dizer uma coisa...poucos discos de mpb tinham uma guitarra com tanta personalidade naquela época.Quantas moças bonitas de olhar agatinhado, quantas onças pintadas surgiram ao som de Como dois animais. Pelas ruas que andei, Martelo alagoano e Lava  mágoas seguem a mesma linha. Um som marcadamente típico, que remete ao nordeste direto. E Cavalo de Pau, com certeza vai te lembrar alguem de pelo claro, alguma boneca dourada, e o vento fazendo onda pelo milharal. Maracatu fecha o disco e não precisa de explicação. É maractu, é o nordeste, o cego Aderaldo de novo, o fogo do sol no espelho luzente. Ei, não espere mais, vá correndo procurar este disco. Aviso que não é fácil de encontrar. Mas, corra. Procure, encontre e ouça. Ele é muito bom.

10 comentários:

  1. Essa OBRA foi a que "abriu" a minha cabeça para a MPB, mostrou-me nossa riqueza musical. Costuma dizer, definindo:ESSE DISCO ME FEZ ACREDITAR EM MIM, NO BRASIL E NAS BOAS COISAS "DESFRUTÁVEIS"
    Excelente, é o mínimo que posso dizer!!!

    ResponderExcluir
  2. Perfeitamente Cristiano, ouvindo-se é que se consegue entender o que significa ser eterno, clássico. Os meninos do ano 3000 irão ouvir este disco ainda para aprender como é que se faz. E.."se eu rimar rima com rima.." Abraços e obrigado pela visita e pelo comentário.

    ResponderExcluir
  3. Excelente trabalho seus de reviver esse clássico da nossa mpb. Parabéns por oferecer essa viajem no tempo. - Viçosa - MG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, amigo. Esteja a vontade. Estou preparando novos posts.

      Excluir
  4. Excelente disco. Era criança e conheci através de um tio. Não parava de ouvir.

    ResponderExcluir
  5. Absurdamente fantástico! Uma música melhor que a outra! A poesia incandescente de Alceu, sua musicalidade mista se Baião, Rock, Reggae... Fantástico!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeitamente. É preciso que venha urgente um nova geração tão criativa quanto essa.

      Excluir
  6. ¡Ese álbum es fabuloso!
    Obrigado.

    ResponderExcluir

Solte o verbo aqui com seu comentário: